Itapipoquense é um dos presos em grande operação da PF que apreendeu 1.037 KG de cocaína em Chaval/CE


Um trabalho, que iniciou por meio de levantamentos realizados pela Coordenadoria de Inteligência da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) do Ceará, resultou nas apreensões de 1.037 quilos de cocaína, na cidade de Chaval, na Área Integrada de Segurança 14 (AIS 14) do Estado. A ação ocorreu nessa quarta-feira (8) e contou com as participações da Polícia Militar do Ceará (PMCE), da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) da SSPDS e da Polícia Federal. 




As informações da ofensiva foram divulgadas em coletiva de imprensa nesta quinta-feira (9), na sede da SSPDS, com a presença do coordenador de Inteligência da SSPDS, Nelson Pimentel; do subcomandante da Polícia Militar do Ceará, coronel Clauber de Paula; e com chefe da Delegacia de Repressão e Combate ao Crime Organizado da Polícia Federal no Ceará, Alan Robson. As investigações iniciaram após os indícios de pessoas em atitude suspeita, que possivelmente utilizavam embarcações para transportar entorpecentes. A partir de levantamentos de inteligência, as equipes policiais se deslocaram até uma fazenda situada em Chaval, onde os suspeitos de participação na atividade ilícita foram encontrados.

“Trabalhamos intensamente em busca de dados que nos levassem a identificar e localizar um grupo criminoso instalado em Chaval. Ao longo dos trabalhos identificamos que estava chegando uma carga significativa e passamos a monitorar esse grupo”, revelou o coordenador de Inteligência da Secretaria da Segurança, Nelson Pimentel.

As pessoas e o material ilícito foram encaminhados à Superintendência da Polícia Federal, em Fortaleza, onde foram interrogados e indiciados. “São três presos: um empresário paranaense, um fazendeiro paulista e um cearense de Itapipoca. Agora começa outro trabalho, que é o trabalho de identificar a lavagem de dinheiro, os financiadores, quem está por trás (do grupo)”, revelou Alan Robson, chefe da Delegacia de Repressão e Combate ao Crime Organizado da Polícia Federal no Ceará. Os presos responderão por tráfico de drogas e por integrarem organização criminosa, com pena de até 33 anos de reclusão.

Fonte: SSPDS

Conheça o nosso segundo site de notícias: É só clicar aqui:

0 Comentários

Postar um comentário

Poste um comentário (0)

Postagem Anterior Próxima Postagem

Anunciantes parceiros