O ciclone atingiu o norte de moçambique nesta quinta (25)
Data desta publicação: 25/04/2019

Um mês depois do ciclone Idai ter atingido Moçambique e provocado mais de 600 mortos e milhares de desalojados, outra tempestade tropical ganhou força e atingiu o norte do país com rajadas de vento de 285km/horas e chuvas intensas, valores superiores ao registados no Idai e equivalentes à categoria 4. Ao início da tarde desta quinta-feira, o ciclone Kenneth começou a aproximar-se de Pemba, capital da província de Cabo Delgado, no norte de Moçambique.

Furacão Kenneth

O ciclone está a mover-se em direção a oeste-sudoeste a 18 quilómetros por hora. Estima-se que vá afetar 700 mil pessoas e, de acordo com as previsões meteorológicas, é precisamente a zona de Cabo Delgado que deverá ser a mais atingida pela tempestade tropical,. A companhia aérea Moçambicana LAM decidiu suspender os voos entre Maputo e Pemba devido à passagem do ciclone,este foi o primeiro a chegar ao norte de Moçambique desde que há registos (há 60 anos), sendo que o ano de 2019 fica na história como o primeiro em que o país foi atingido por dois ciclones de categoria dois ou superior na mesma época chuvosa – depois de o Idai ter atingido o território em março classificado com categoria três e de se prever que este possa ter a mesma classificação,um morador na vila de Macomia, sede de distrito no caminho previsto do ciclone Kenneth pela província de Cabo Delgado, descreveu ao princípio da noite a situação como “caótica”, tendo em conta a velocidade do vento e a intensidade da chuva, referiu em contacto telefónico com a Lusa. O vento e a chuva “estão a aumentar, a ficar mais fortes”, sublinhou. Não há energia, a noite caiu e os moradores estão fechados em casa, sem ninguém nas ruas, acrescentou, prevendo que só quando o dia raiar, pelas 05h (04h em Lisboa) se consiga fazer uma avaliação dos estragos.